Tomas foi contatado há mais de dez anos. Ele mora perto da proposta 'Estrada da Morte

Tomas foi contatado há mais de dez anos. Ele mora perto da proposta ’Estrada da Morte © David Hill/Survival

Cette page a été mise à jour pour la dernière fois le agosto 15, 2018 et pourrait contenir des termes obsolètes.

Polêmicos planos de construir uma ‘Estrada da Morte’ cruzando a Amazônia peruana causaram um grande estrondo depois que as autoridades confirmaram que tribos isoladas moram no trajeto da rota proposta para a obra.

Esta última evidência enfraquece o caso de um padre italiano que incansavelmente luta para construir a estrada, ignorando a existência das tribos isoladas na região.

Padre Miguel Piovesan considera que a estrada seja uma ‘necessidade pública’ e apesar da extensa oposição, ele continua fazendo lobby no Congresso Peruano para apressar a aprovação do projeto.

No entanto, novas informações do Departamento de Áreas Protegidas do Peru, e a organização indígena Fenamad, comprovam que as vidas de tribos isoladas serão ameaçadas diretamente pelo projeto.

Sinais característicos, incluindo barreiras de galhos quebrados ao longo de caminhos pertos da rota proposta do projeto, mostram a clara intenção das tribos isoladas de serem deixadas em paz.

Se aprovada pelo Congresso, a estrada irá cortar a maior reserva para as tribos isoladas do Peru, Madre de Dios, e atrair colonos para a região, incluindo madeireiros ilegais que irão cortar a floresta dos índios, e introduzir doenças.

Piovesan insiste que sem a estrada as comunidades da região peruana do Purus irão morrer pelos efeitos de isolamento, afirmando que ‘isolamento significa morte, morte em todos os sentidos.’

Padre Piovesan, o principal promotor da Estrada de Purus, ao lado do Presidente Humala.

Padre Piovesan, o principal promotor da Estrada de Purus, ao lado do Presidente Humala. © Anon

No entanto, três dos principais ministérios do Peru não concordam com a afirmação de Piovesan. Os Ministérios peruanos do Transporte, do Meio Ambiente e da Cultura expressaram a sua preocupação pelo bem-estar das tribos isoladas, declarando o projeto ‘inviável e inconstitucional’.

O diretor da Survival International, Stephen Corry, pronunciou hoje: ‘Esta nova evidência reafirma que consequências catastróficas ocorrerão se a estrada conectando Puerto Esperanza à Iñapari for levada adiante. Tribos isoladas habitam ao longo da rota da estrada e este fato não pode continuar sendo negado. Já é hora de escutar as comunidades locais e as organizações indígenas que se posicionam firmemente contra a estrada, e de encontrar soluções alternativas para o isolamento da região. Esta estrada causará mais problemas dos que irá resolver.’

Compartilhe

  • Facebook
  • WhatsApp
  • Copy