Missionário investigado por 'entrar em terra de indígenas isolados'

Indígenas isolados no Brasil mostram que não querem contato com forasteiros. Foto tirada em 2008.

Indígenas isolados no Brasil mostram que não querem contato com forasteiros. Foto tirada em 2008.

© G. Miranda/FUNAI/Survival, 2008

Um missionário norte-americano está sendo interrogado pelas autoridades brasileiras após supostamente ter entrado num território de indígenas isolados.

Steve Campbell, missionário ligado à Igreja Greene Baptist, no Maine, EUA, teria sido interrogado por agentes da FUNAI, em meio a relatos de que ele poderia ser julgado por genocídio.

A imprensa brasileira relata que Campbell teria entrado no território do povo Hi-Merimã usando um guia local que havia participado de uma recente expedição da FUNAI. Ele teria visitado acampamentos indígenas localizados pela FUNAI como parte do trabalho de monitoramento do território do povo indígena isolado.

Bruno Pereira, coordenador geral de índios isolados e de recente contato da FUNAI, disse à Folha de São Paulo, “Caso se configure, na investigação, que existiu interesse de fazer contato… ele pode ser imputado por crime de genocídio ao expor deliberadamente a segurança e a vida dos Hi-Merimãs.”

Essas notícias surgem apenas dois meses após o missionário John Allen Chau ter sido morto pelos Sentinelese, indígenas isolados da ilha de Sentinela do Norte, no oceano Índico, pertencente à Índia. Chau pousou na ilha com o objetivo de converter os indígenas ao Cristianismo.

A decisão de John Allen Chau de visitar a ilha de Sentinela do Norte foi muito perigosa para os indígenas isolados que moram lá.

A decisão de John Allen Chau de visitar a ilha de Sentinela do Norte foi muito perigosa para os indígenas isolados que moram lá.
© Indian Coastguard/Survival

Campbell teria se defendido afirmando estar ensinando aos membros de um povo vizinho, os Jamamadi, a usar o GPS, e que entrar no território dos Hi-Merimã era a única maneira de chegar ao seu destino.

A nomeação do Presidente Bolsonaro de uma pastora evangélica, Damares Alves, como a nova ministra encarregada dos assuntos indígenas provavelmente encorajará outros missionários a tentar contatar povos isolados.

Os indígenas isolados são os povos mais vulneráveis do planeta. Populações inteiras estão sendo dizimadas pela violência genocida de estranhos que roubam suas terras e recursos, e por doenças como a gripe e o sarampo, às quais não têm resistência.

Stephen Corry, diretor da Survival International, declarou hoje: “Missionários fundamentalistas cristãos devem ser contidos em seu impulso primitivo de contatar povos indígenas isolados. Isso pode levar ao martírio buscado por eles, mas sempre acaba matando indígenas desses povos isolados”.