Exploração madeireira ilegal poderia destruir os Awá, que são a tribo mais ameaçada do mundo.

Exploração madeireira ilegal poderia destruir os Awá, que são a tribo mais ameaçada do mundo. © Fiona Watson/Survival

Os apelos para acabar com uma ‘verdadeira situação de genocídio’ na Amazônia brasileira são cada vez maiores, conforme a ONU marca o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial.


Especialistas alertam que os “índios Awá”: no Brasil estão diante da sua extinção, a menos que haja mais esforços para proteger seus direitos à terra, que estão sendo violados por madeireiros ilegais e pecuaristas.



A ONU quer que a ‘dignidade e direitos’ dos seres humanos sejam respeitados a nível mundial. No entanto, muitas comunidades indígenas continuam a sofrer com o ódio étnico.



Os Awá são uma pequena tribo de cerca de 355 pessoas, que sobreviveram a massacres brutais. Eles vivem no leste da Amazônia, e são uma das últimas tribos caçadores-coletores nômades no mundo. Alguns membros da tribo permanecem isolados.



Os Awá dependem da floresta para tudo, mas ela está desaparecendo rapidamente conforme a exploração madeireira intensiva destrói a terra dos índios.



Bruno Fragoso, da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), adverte: ‘Os Awá-Guajá, no processo de aceleração de invasão em que se encontram, se não houver ação rápida e emergencial, o futuro desse povo é a extinção.’



Um juiz brasileiro, que visitou o território dos Awá para investigar a situação também alerta: ‘Trata-se de um verdadeiro genocídio.’


Da mesma forma, uma pesquisa realizada pela antropóloga e especialista sobre os Awá, Dra. Eliane Cantarino O’Dwyer concluiu: ‘Os Awá estão enfrentando uma situação real de genocídio.’



A floresta dos Awá está enfrentando uma das maiores taxas de desmatamento de todas as áreas indígenas na Amazônia. Imagens de satélite mostram que mais de 30% da floresta, em um dos quatro territórios habitados pelos Awá, já foi destruída.

© Survival International


Os especialistas estão especialmente preocupados com o impacto que essas invasões de terra têm sobre os Awá isolados, que são particularmente vulneráveis ​​à doença.



O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse hoje, ‘A tribo Awá é a mais ameaçada do mundo. Se os seus direitos não são protegidos, eles só existirão nas páginas de livros de história. O apelo da ONU para acabar com a discriminação racial é um passo para mudar atitudes, e ajudar a manter a floresta dos Awá intacta.’


Nota aos Editores:

 A ONU marca o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial na quarta-feira 21 de março, 2012.