Tribo "gavião-real" e seus vizinhos isolados enfrentam aniquilação na Amazônia

Os Uru Eu Wau Wau são conhecidos por tatuarem o contorno de seus lábios com jenipapo, uma tinta preta feita da fruta amazônica.

Os Uru Eu Wau Wau são conhecidos por tatuarem o contorno de seus lábios com jenipapo, uma tinta preta feita da fruta amazônica.
© Fiona Watson/Survival (1991)

Diversos fazendeiros e colonos estão invadindo o território dos Uru Eu Wau Wau, uma tribo recém-contatada, com o apoio de políticos locais. A incursão está sendo descrita na região como “a pior invasão em décadas” que poderia exterminar indígenas isolados que vivem nas proximidades.

Os indígenas Uru Eu Wau Wau são conhecidos como o povo “gavião-real,” pois eles usam as grandes penas da ave para fazer flechas e cocares. Eles chamam seus vizinhos isolados de Jururei, que significa os “corajosos.”

Sabemos muito pouco sobre as tribos isoladas, mas sabemos que populações inteiras estão sendo exterminadas pela violência genocida de estranhos que roubam suas terras e recursos, e por doenças como a gripe e o sarampo, às quais não têm resistência. Os Uru Eu Wau Wau foram dizimados após o primeiro contato na década de 80.

Imagem aérea da devastação causada por desmatamento e queimadas em Rondônia, próximas do território de indígenas isolados e dos Uru Eu Wau Wau. Fotografada pela ONG Kanindé.

Imagem aérea da devastação causada por desmatamento e queimadas em Rondônia, próximas do território de indígenas isolados e dos Uru Eu Wau Wau. Fotografada pela ONG Kanindé.

© Kaninde

O governo do estado de Rôndonia opera um esquema de colonização de longa data, próximo ao território da tribo. Colonos agora estão invadindo o território, apesar de parte dele ser o parque nacional “Pacaás Novas” e de três grupos de indígenas isolados viverem em seu interior. Fazendeiros e políticos locais estão incentivando uma nova onda de invasões.

Imagens aéreas mostram grandes porções do território da tribo sendo queimadas por colonos abrindo a terra. Além de lar para diversos povos indígenas, a região também possui pinheiros amazônicos únicos, bem como paisagens únicas de cachoeiras, cavernas e planaltos. Espécies ameaçadas como a cuíca-de-colete, o tatu-canastra e o mutum-cavalo dependem desses ambientes para sobreviver.

Membros da tribo escreveram à Polícia Federal em Rondônia em 8 de agosto, mas as autoridades ainda precisam agir. Na carta, os indígenas disseram: “Estamos muito preocupados, pois as invasões estão próximas das aldeias e colocando em risco a vida de mulheres, velhos, crianças e homens… A situação é gravíssima e precisamos de urgente retirada dos invasores, antes que aconteça a morte de indígenas ou de invasores em um confronto dentro da Terra Indígena.”

Vista aérea de aldeia isolada dos Uru Eu Wau Wau.

Vista aérea de aldeia isolada dos Uru Eu Wau Wau.

© Fiona Watson/Survival

Os Uru Eu Wau Wau foram contatados por agentes governamentais da FUNAI em 1981. A política oficial, na época, era de contatar forçadamente os povos isolados. Isso levou a que eles fossem expostos a doenças contagiosas.

Apesar dos direitos territoriais da tribo terem sido oficialmente reconhecidos em 1991, muitos estão preocupados que pouco esteja sendo feito para proteger seu lar extremamente biodiverso. As tribos isoladas são os povos mais vulneráveis do planeta, e enfrentam uma catástrofe a não ser que seus direitos territoriais sejam respeitados.

O diretor da Survival, Stephen Corry, disse: “O roubo de terras é o maior problema que os povos indígenas enfrentam. Ao redor do mundo, sociedades industrializadas estão roubando as terras indígenas em busca de lucro. Isso é uma continuação das invasões e do genocídio que caracterizaram a colonização europeia das Américas e da Austrália. O direito dos povos isolados a sua terra é consagrado na Constituição Federal e no direito internacional e deve ser respeitado, ou as consequências serão terríveis.”