Muitos indígenas Baiga relataram tratamento cruel nas mãos dos guardas florestais, e pobreza e sofrimento fora de suas terras ancestrais.

Muitos indígenas Baiga relataram tratamento cruel nas mãos dos guardas florestais, e pobreza e sofrimento fora de suas terras ancestrais.

© Survival International, 2013

Ao mesmo tempo que a nova versão do filme Mogli – O Menino Lobo é lançada, tribos ao redor da Índia estão sendo despejadas ilegalmente de suas terras, pois estas foram transformadas em reservas de tigres – enquanto turistas que pagam são bem-vindos.

Um desses lugares é a famosa Reserva de Tigres Kanha, inspiração para o livro original de Rudyard Kipling, da qual centenas de indígenas Baiga e Gond foram ilegalmente despejados em 2014. E desapropriações forçadas estão novamente sendo ameaçadas nas reserva de Achanakmar, apesar de forte oposição, e de Amrabad, entre outras.

Kanha se vende como “inspiração” para a obra “O Livro da Selva”, na qual o filme Mogli é baseado, e encoraja o turismo em larga escala afirmando que “em nenhum outro lugar você pode ver [tigres] tão frequentemente.". Mas poucos visitantes ou espectadores do filme da Disney estarão cientes sobre a violência e intimidação contra os povos indígenas na terra do Mogli em nome da conservação.

O Departamento das Florestas afirma que as tribos aceitam o “reassentamento voluntário”, mas na realidade são coagidos a “aceitar” o despejo com subornos e sob ameaça de violência. Alguns são mandados para campos de reassentamento do governo, mas outros são simplesmente pressionados a sair e forçados a viver miseravelmente às margens de suas terras.

Após as desapropriações forçadas dos Kanha em 2014, um homem Baiga disse: “Nós éramos uma das últimas famílias a resistir. Mas as pessoas da reserva nos forçaram a sair. Eles nos disseram que tomariam conta de nós por três anos, mas não fizeram nada. Nem quando meu irmão foi morto, ninguém veio nos ajudar.”

Outro membro da tribo dos Baiga disse: “Estamos perdidos – vagando em busca de terra. Aqui só existe tristeza. Nós precisamos da selva.”

Baiga são impedidos de retornar a suas casas após despejos brutais

Baiga são impedidos de retornar a suas casas após despejos brutais

© Survival

As grandes organizações de conservação são culpadas de apoiarem isso. Elas nunca se pronunciam contra os despejos. Mas muitas tribos indígenas, na verdade, reverenciam os tigres, e vivem pacificamente junto a eles há gerações. Não existem evidências de que os despejos protejam os tigres; na realidade, é mais provável que eles os machuquem ao alienar a população local dos esforços para a conservação.

Povos indígenas são os melhores conservacionistas e guardiões do mundo natural. Eles deveriam estar liderando o movimento ambiental, mas ao invés disso, estão sendo excluídos. Existem, inclusive, evidências que mais tigres moram em áreas onde as pessoas não foram despejadas.

O diretor da Survival, Stephen Corry disse: “Esperamos que esse filme possa trazer atenção ao sofrimento atualmente infligido aos povos indígenas ao redor da Índia em nome da conservação dos tigres. A queda significativa na população de tigres na Índia no último século não teve nada que ver com as tribos. Isso ocorreu graças à rápida industrialização e à matança em larga escala realizada por caçadores coloniais e elites indianas. Porém, em toda a Índia, as tribos pagam o preço por isso: elas são expulsas de suas terras ancestrais e substituídas por milhares de turistas.”