Survival International acusa WWF de envolvimento em violência e abuso

Forçados de sair de suas florestas, muitas comunidades Baka dizem que sua saúde está piorando drasticamente.

Forçados de sair de suas florestas, muitas comunidades Baka dizem que sua saúde está piorando drasticamente.

© Survival International

A Survival International lançou uma queixa formal sobre as atividades da WWF (Fundo Mundial para a Natureza) em Camarões.

É a primeira vez que uma organização de conservação é alvo de queixa junto à OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), utilizando um procedimento normalmente invocado contra corporações multinacionais.

A queixa acusa a WWF de envolvimento em abusos violentos e roubo de terras de “pigmeus” Baka em Camarões, realizados por esquadrões anti-caça furtiva que em parte são financiados e equipados pela WWF.

Antes de iniciar seu trabalho em Camarões, a WWF não considerou o impacto que teria sobre os Baka. Como resultado, a WWF contribuiu para sérias violações de direitos humanos e feriu a Declaração dos Direitos de Povos Indígenas das Nações Unidas. A WWF apoia áreas de conservação em terra Baka, na qual os Baka são proibidos de entrar, e também apoia esquadrões anti-caça furtiva que abusam violentamente de homens e mulheres Baka, alem de outras tribos da floresta tropical, há mais de uma década.

A organização internacional de conservação portanto violou ambas as orientações da OCDE de direitos humanos e sua própria política sobre os povos indígenas, e assim portanto, a equipe legal da Survival apresentou uma queixa formal.

Os Baka testemunharam repetidas vezes à Survival sobre as atividades dos esquadrões anti-caça furtiva na região. Em 2015 um homem Baka disse: “Quando eles vieram me bater aqui na minha casa, eu e minha mulher estávamos dormindo. Eles me bateram com machetes. Eles bateram na minha mulher com machetes.”

Durante gerações, os caçadores-coletores Baka têm vivido de maneira sustentável na floresta tropical da África Central

Durante gerações, os caçadores-coletores Baka têm vivido de maneira sustentável na floresta tropical da África Central

© Selcen Kucukustel/Atlas

“Eles estão deixando os elefantes morrerem na floresta ao mesmo tempo que eles estão nos impedindo de comer,” contou para a Survival outro homem Baka.

Hoje, a destruição da terra Baka através da exploração madeireira, da mineração, e do tráfico de animais selvagens continua, e causa preocupação entre os povos indígenas de que suas terras estão sendo destruídas, mesmo enquanto eles estão sem acesso a grandes partes delas devido a “conservação” da natureza.

A Survival está solicitando uma nova abordagem para a conservação, que respeite os direitos dos povos indígenas. Eles são dependentes e gestores de seus meio ambientes há milênios. Apesar disso, grandes organizações de conservação têm parceria com a indústria e o turismo e estão destruindo os melhores aliados do meio ambiente – os povos indígenas. Eles são os melhores guardiões do mundo natural. Eles deveriam estar no centro da política de “conservação”.

O diretor da Survival, Stephen Corry, disse hoje: “A WWF sabe que os homens que seus apoiadores financiam para seus trabalhos de conservação repetidas vezes abusam e torturam os Baka, que tiveram as suas terras roubadas para a criação de áreas de conservação. No entanto, a WWF segue com esse trabalho, e trata criticas como algo a ser combatido com relações públicas. A WWF pressiona para que empresas obedeçam diretrizes da OCDE que ela mesmo viola. A conservação e o desenvolvimento foram autorizados a suspender o respeito dos direitos humanos ao longo de décadas e milhões de pessoas na África e Ásia sofreram como resultado. Chegou a hora de grandes organizações de conservação mudarem seu comportamento. Se a WWF realmente não é capaz de impedir que os esquadrões que eles financiam em Camarões ataquem os Baka, então talvez eles devem se perguntar se possuem algum direito de estar lá em primeiro lugar.”