Seis indígenas mortos à medida que o conflito de terras aumenta

José Dias Guajajara (à direita) é um dos Guajajara que foi assassinado em 2016.

José Dias Guajajara (à direita) é um dos Guajajara que foi assassinado em 2016.

© CIMI Regional Maranhão

Seis indígenas na Amazônia brasileira foram assassinados na última onda de violência contra a população indígena do país.

Os homens, da tribo Guajajara no Maranhão, foram assassinados entre setembro e novembro de 2016. Seus corpos foram, então, brutalmente desmembrados.

Os seis homens são as vítimas mais recentes do conflito territorial que assola a área. Diversos grupos de Guajajara estão à frente dos esforços para retirar madeireiros ilegais de suas florestas.

A ONG CIMI disse sobre um dos homens: “O indígena era um lutador em defesa da terra indígena, contra a retirada ilegal de madeira e despertava muita raiva em quem vivia dessa atividade ilegal.”

Os Guajajara relatam uma onda constante de ameaças de morte por forasteiros que estão roubando sua terra e recursos. Uma máfia madeireira poderosa e violenta opera na região, e é apoiada por políticos locais.

Cinco Guajajara foram mortos no começo desse ano. Eles eram do território indígena Arariboia, onde indígenas conhecidos como “Guardiões Guajajara” estão colocando suas vidas em risco para expulsar madeireiros e salvar seus vizinhos, indígenas Awá isolados, da extinção.

Os Guardiões Guajajara realizam expedições para despejar madeireiros ilegais e salvar seus vizinhos Awá isolados da extinção.

Os Guardiões Guajajara realizam expedições para despejar madeireiros ilegais e salvar seus vizinhos Awá isolados da extinção.

© Survival

Olímpio Guajajara, um dos Guardiões, disse à Survival: “Os Awá enfrentam um genocídio. Ninguém tem o direito de roubar sua terra. Por favor nos ajude a protegê-la!”

As tribos isoladas são os povos mais vulneráveis do planeta e enfrentam uma catástrofe, a não ser que suas terras sejam protegidas.

Planos para enfraquecer drasticamente os direitos territoriais dos indígenas, e cortar e congelar o orçamento da FUNAI estão sendo atualmente debatidos pelo Congresso Nacional. Caso aprovados, eles podem piorar ainda mais a situação dos Guajajara e de tribos ao redor do país.

Indígenas brasileiros e seus aliados ao redor do mundo estão protestando contra essas propostas perigosas.